Nota Oficial

Botafogo protocola no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro requerimento de centralização de suas dívidas cíveis baseado na Lei da SAF

Atualizado em 17-09-2021 às 14:35

O Botafogo segue ativo em suas ações em prol da recuperação econômico-financeira da instituição. O Clube protocolou junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, na noite da última quinta-feira, requerimento de centralização de suas dívidas de natureza cível, baseado na “Lei do Clube-Empresa”, a Sociedade Anônima do Futebol.

Cumprindo com rigor as determinações contidas na legislação, o Botafogo está focado na finalização de um plano estruturado de pagamento dos credores — tendo como premissa a destinação de 20% de sua receita corrente mensal ao pagamento das dívidas, assim como estabelecido em Lei — para apresentá-lo à Justiça.

"Estamos caminhando de forma consciente, gradual e firme no processo de reestruturação do Botafogo. Há um embasamento evidente na SAF que reafirma o nosso alinhamento com a Lei. O Clube tem consciência de sua realidade financeira e pretende firmar acordos no limite de sua capacidade", destacou o CEO Jorge Braga.

Os principais beneficiados com as ações do Botafogo na Justiça serão os próprios credores. Com a estruturação e ordenamento das dívidas, o Clube terá capacidade para se reorganizar administrativamente, preservar o caixa para o funcionamento diário, cumprir suas obrigações, conquistar resultados esportivos e com isso atrair novos investimentos em um ciclo virtuoso.

Assessoria de Comunicação

O Botafogo segue ativo em suas ações em prol da recuperação econômico-financeira da instituição. O Clube protocolou junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, na noite da última quinta-feira, requerimento de centralização de suas dívidas de natureza cível, baseado na “Lei do Clube-Empresa”, a Sociedade Anônima do Futebol.

Cumprindo com rigor as determinações contidas na legislação, o Botafogo está focado na finalização de um plano estruturado de pagamento dos credores — tendo como premissa a destinação de 20% de sua receita corrente mensal ao pagamento das dívidas, assim como estabelecido em Lei — para apresentá-lo à Justiça.

"Estamos caminhando de forma consciente, gradual e firme no processo de reestruturação do Botafogo. Há um embasamento evidente na SAF que reafirma o nosso alinhamento com a Lei. O Clube tem consciência de sua realidade financeira e pretende firmar acordos no limite de sua capacidade", destacou o CEO Jorge Braga.

Os principais beneficiados com as ações do Botafogo na Justiça serão os próprios credores. Com a estruturação e ordenamento das dívidas, o Clube terá capacidade para se reorganizar administrativamente, preservar o caixa para o funcionamento diário, cumprir suas obrigações, conquistar resultados esportivos e com isso atrair novos investimentos em um ciclo virtuoso.

Assessoria de Comunicação


Norsk