notícia

Atlético-MG 2 x 0 Botafogo

Fogão se despede da CONMEBOL Sul-Americana e foca no Campeonato Brasileiro
Atualizado em 31-07-2019, 23:30

Não deu para o Botafogo na CONMEBOL Sul-Americana. O Glorioso perdeu para o Atlético-MG por 2 a 0 no Independência, nesta quarta-feira, e se despediu da competição sul-americana. O time fez bom primeiro tempo, mas no segundo o adversário foi superior.

O próximo adversário é o Avaí, domingo, na Ressacada, pelo Campeonato Brasileiro.

O JOGO

O primeiro tempo foi elétrico no Independência. O Botafogo foi ousado, forte e corajoso, se impôs, teve mais posse de bola, finalizou mais e mandou uma bola no travessão.

Prova que o Botafogo estava mais incisivo foi que em nos dois primeiros minutos deu duas finalizações, com Alex Santana e Diego Souza. Antes dos 15, Gilson, Luiz Fernando e Cícero também arriscaram. O último obrigou Cleiton a espalmar para escanteio.

O Atlético-MG respondeu em chutes de longe, de Otero e Chará, por cima. O Botafogo voltou a ameaçar em cobrança de falta de Diego Souza que desviou e passou sobre o gol.

Aos 25, Rodrigo Pimpão pegou sobra de escanteio e soltou uma bomba, Cleiton encaixou. Improvisado como zagueiro, Cícero apareceu bem aos 31 para fazer desarme providencial em chegada de Chará. Aos 34, Otero bateu de longe e Gatito espalmou.

Na melhor chance do Fogão, aos 43, Marcinho cobrou falta da esquerda cruzado e acertou o travessão. Quase.

Na etapa final, contudo, o jogo foi diferente. O Atlético-MG primeiro esfriou o jogo, depois controlou as ações e, por fim, fez seus gols.

Gatito apareceu bem para pegar chutes de Vinicius, Otero e Jair. O Botafogo, em sua boa chance, cabeceou para fora com Alex Santana após cruzamento de Luiz Fernando.

Porém, aos 29, pênalti para o Atlético-MG, que Fábio Santos converteu.

O Botafogo ficou sem força para reagir, Gatito apareceu de novo ao evitar gols de Ricardo Oliveira, mas nada pôde fazer em finalização forte de Vinicius aos 40, colocando 2 a 0 no jogo, placar final.

BOTAFOGO: Gatito, Marcinho, Marcelo, Cícero e Gilson; Bochecha (Igor Cássio), João Paulo (Alan Santos) e Alex Santana; Luiz Fernando, Rodrigo Pimpão (Leo Valencia) e Diego Souza. Técnico: Eduardo Barroca.

Danilo Santos