notícia

Hora de voltar

Barroca destaca entrega, ganho coletivo e projeta retorno contra o Cruzeiro
Atualizado em 12-07-2019, 18:49

Chegou a hora de retornar ao Campeonato Brasileiro e o adversário do Fogão será o Cruzeiro, domingo, no Mineirão. O Glorioso ocupa a 7ª colocação com 15 pontos somados e sob o comando de Eduardo Barroca que crescer ainda mais na competição. Em entrevista coletiva, o treinador alvinegro falou sobre o trabalho realizado durante a pausa para a Copa América, destacou a satisfação por ter conseguido extrair o máximo do elenco e traçou os objetivos para a sequência do trabalho. 

- Eu não tenho a menor dúvida que vou enfrentar um Cruzeiro forte, uma equipe com sequência de trabalho e que se sente confortável jogando em casa. Oscilou um pouco nesse começo de Campeonato Brasileiro e, se eu pudesse apostar, diria que o Cruzeiro não termina nessa posição. É uma equipe que está em três competições e teve que dividir o foco, é normal. Eu sou fã do Mano (Menezes), tem uma conduta linear e resultados sempre expressivos, mas temos confiança nesse tempo de preparo, foram 21 sessões de treinamento. Não peguei a equipe no começo, então foi bom para ajustar e ter as referências internas da gente nessa parte da competição - disse. 

Barroca destacou o empenho dos atletas, deixou as questões salariais para a direção do clube e garantiu que seus comandados treinaram sob forte cobrança e que retribuíram com bons números de performance. 

- Preciso focar naquilo que eu posso colaborar, que é o lado esportivo, mas temos a realidade. A diretoria está trabalhando para resolver a questão dos salários e desde o ínicio sentei com os jogadores para que isso não interferisse no nosso lado esportivo. Fizemos um pacto e temos trabalhado com plenitude. Estabelecemos um planejamento de quatro semanas após o nosso retorno. Estamos na terceira semana, cheia e com um jogo contra o Cruzeiro no fim dela. Estabelecemos objetivos para cada semana, metas e tivemos jogadores que iniciaram a semana com crédito no aspecto físico, individual e coletivo. Eles estão treinando forte, se dedicando muito e precisei até abrir um pouco mão do meu trabalho em véspera de jogo para que isso não nos atrapalhasse no jogo contra o Cruzeiro. Estou muito satisfeito com o que eles entregaram nesse período de preparação - falou. 

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Eduardo Barroca: 

OBJETIVOS DE CRESCIMENTO E AUSÊNCIA DE CÍCERO DIANTE DO CRUZEIRO

- Uma das nossas metas nesse período era crescer na parte física, na pressão, compactação, controle do jogo e desenvolvimento do terço final, uma coisa que nos faltou nesse primeiro ciclo. Coloquei como meta que chegássemos com todos os jogadores à disposição. O Cícero é um cara importante, fominha, quer estar em jogo sempre, mas sentiu um incômodo e decidimos por preservá-lo. 

BIRO BIRO

- É um jogador que me agrada. Tem velocidade, drible, finta, improviso, tem capacidade no 1x1 e sabe fazer gol. Estou feliz, chegou adaptado, entrosado, treinando bem. Se adaptou rápido aquilo que a gente precisava dele, vai ser muito útil para o decorrer da temporada. Consegue jogar dois lados e na China também jogou centralizado, como o meia atrás do atacante e fez bastante gols assim. Joga em mais de uma posição e tem experiência, isso vai ajudar.

VICTOR RANGEL

- Excelente. Foi muito prudente não colocá-lo logo. Tinha um desequilíbrio muscular e hoje vemos liderar vários quesitos. Um cara muito profissional e dedicado. 

MARCINHO E FERNANDO

- São dois jogadores que acredito muito, de nível de seleção brasileira. O Fernando é um dos quatro jogadores para disputar posição na seleção olímpica. A competição entre os dois está aberta e jogo a jogo vamos decidindo o que vamos fazer na posição. 

COMPETIÇÃO DIVIDIDA POR OBJETIVOS

- Dividi o campeonato em quatro ciclos. no primeiro fizemos quinze pontos e iniciamos agora o segundo de dez jogos. Cinco extremamente difíceis. Cruzeiro, Santos, Atlético Mineiro, Flamengo e Atlético Mineiro. Das dez equipes que vamos pegar, enfrentaremos cinco que estão disputando três competições ao mesmo tempo. Temos que nos aproveitar disso e precisamos pontuar o máximo que pudermos. Fizemos isso no início. Estamos com uma margem de segurança de cinco pontos e o nosso objetivo é entrar no G-4, ampliar essa diferença do G-12 e da zona de rebaixamento. 

CONTROLE E AGRESSIVIDADE

- Treinamos bastante no que precisávamos desenvolver. Precisamos fazer um jogo de controle, mas com agressividade maior. Nos desenvolvemos também em como controlar e transformar em oportunidade de gol. E também desenvolver no chute de fora da área, cruzamento, posse de bola ofensiva e possibilidade de gol. 

A PARALIZAÇÃO NAS ENTREVISTAS E EMPENHO DOBRADO EM CAMPO

- Me falaram dessa intenção de ter uma ação que não afetasse o lado esportivo. Acho que é uma responsabilidade minha preservar o lado esportivo e que esperaria deles uma resposta nesse sentido, do que eles tem construído desde que cheguei aqui. Empatar, ganhar ou perder, isso pode acontecer, mas não podemos abrir mão da entrega, daquilo que a torcida do Botafogo quer ver deles dentro de campo. Eles me pediram para ser esse cara que não deixasse esse lado esportivo afrouxar. Estou extremamente satisfeito, nossa equipe coletivamente ganhou mais de 20kg de massa magra. Perdemos 5kg só de gordura. Estamos satisfeitos pela forma e resultados do trabalho e agora cabe a nós transferir isso para o jogo, que é o principal e o que a torcida espera de nós. 

ALAN SANTOS

- Um cara extremamente excepecional. Estava liberado para ir ao México para uma audiência, estava liberado para isso, mas preferiu ficar por entender que o momento era de estar junto com o time.

RITMO INTENSO

- Posso dizer que fui bem puxado com eles. Cada jogador está com 90km nas costas de treinamentos, o que equivale a nove partidas completas. Tiramos o coro deles e esperamos transferir isso para o campo pelos nossos objetivos. 

Assessoria de Imprensa