notícia

Sem baixar a guarda

Mancini crê em dificuldades contra Santos, mas mantém confiança na equipe
Atualizado em 28-11-2014, 21:30

O Botafogo enfrentará o Santos, no próximo domingo, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mesmo sem muitas aspirações na competição, a equipe santista jogará dentro de seus domínios e não deverá ser um alvo fácil para o Alvinegro. O treinador Vagner Mancini falou sobre a expectativa para o confronto decisivo e traçou os caminhos para um resultado positivo.

- Santos jogando dentro da Vila Belmiro sempre tenta jogar futebol. É um campo extremamente rápido, normalmente é molhado, e eles sabem jogar lá. É um time leve, com muita movimentação ofensiva. Precisaremos de um sistema defensivo muito eficiente, neutralizando os lados do campo, onde o Santos evolui. Lógico que já não aspiram muita coisa no campeonato, mas há a realização do que o atleta precisa fazer em campo. Não esperamos um Santos enfraquecido - disse o técnico.

Em treino realizado na tarde desta sexta-feira no Stadium Rio. Mancini no coletivo esboçou a equipe que deverá atuar contra o Santos com Jefferson, Régis, Dankler, André Bahia e Junior Cesar; Airton, Gabriel, Andreazzi e Ronny; Mamute e Bruno Corrêa. Já Bolatti e Jobson, foram poupados das atividades e viraram dúvida. Marcelo Mattos, suspenso, é um desfalque certo. O atacante Maykon também foi testando e atuou por alguns minutos.

- Seria essa escalação. Hoje o Bolatti não treinou, mas já tinha essa dúvida entre ele e Andreazzi. Há uma possibilidade do Maykon ser liberado hoje, por isso já o fiz treinar no time, para não ficar isolado em termos táticos e técnicos. A equipe deve ser essa, com a dúvida entre Bolatti e Andreazzi - afirmou o comandante.

Pelo segundo dia consecutivo, o VP de Futebol Antônio Carlos Mantuano se fez presente ao Stadium Rio e acompanhou o treinamento da equipe. Vargner Mancini enfatizou a postura do mandatário e da nova diretoria.

- Mantuano já está diariamente no clube, foi saber do dia, do que eu espero do jogo. Conversa simples, de jogo, dia a dia, viagem, quantos atletas vão... Tudo nesse sentido. Já era esperado que houvesse mudança. A partir do momento que a diretoria foi eleita, tem que viver o Botafogo. Já falei com a maioria deles, é a conduta que todos nós esperávamos. Lógico que é um período muito curto, muita coisa vai ser passada ao longo do processo. Mas eles foram eleitos na terça, na quarta já estavam aqui - comentou o treinador.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de Vagner Mancini no Stadium Rio:

JOBSON

- Não tem relação. O que aconteceu no jogo com o Figueirense se tornou público, mas no dia seguinte conversamos e nos entendemos. Pode haver excesso em treinos, como houve com Mamute e Gegê, mas o fato não pode passar. Temos o hábito de sentar, conversar e se acertar. Jobson faltou um dia de treinamento, mas estava sentado com o advogado discutindo o julgamento no STJD. Ontem se queixou que havia sentido a parte posterior da coxa, eu ia retirá-lo, mas ele disse que suportava e ficou até o fim do treino. Hoje, ficou no Departamento Médico, assim como o Bolatti. Ele é dúvida em função da lesão. Se estivesse OK, já ficaria no banco de reservas.

PARTIDAS DE SÁBADO

- Nós da comissão temos o hábito de ver os jogos e chamar os auxiliares. Os atletas uns assistem os jogos, outros não. Nos reunir para ver esses jogos talvez seja dar importância demais. A nossa torcida é para chegar ao jogo com o Santos com chances reais de sair.

CONFIANÇA PARA DOMINGO

- Esse time vai com muita ansiedade, porque todos nós esperamos os jogos de sábado. É uma situação muito desconfortável para quem vive o futebol. Ao longo desse ano, vivemos um problema por semana pelo menos, este talvez seja o pior. Temos que assimilar bem se isso acontecer, mas tenho muita confiança que domingo vamos entrar em campo para matar, vencer o jogo e ir para a última partida com chances.

CONVERSA COM OS ATLETAS

- Não tem uma regra. muitas vezes falo no campo, com todos os atletas, o que acho da parte ofensiva e defensiva. Muitas vezes pego um atleta individualmente e falo a minha visão como técnico. Às vezes o jogador espera demais a definição no zagueiro, às vezes se equivoca. Vamos fazendo os ajustes que achamos necessários, às vezes de forma individual, outra coletiva.



- Sou um cara de muita fé, religioso, já estou apelando faz tempo. Peço até desculpas e perdão pelo tanto que já pedi. Não me sinto na possibilidade de pedir mais, há momentos que são mais de agradecer. Tenho minha fé, estou firme, orando, mas há um merecimento por isso, não só do Mancini, então temos que entender que são situações de vida. Não queremos pensar em descenso, mas quatro equipes vão ter que cair. Tudo deve ser reavaliado, porque está caindo ou ficando.

Confira a galeria de fotos do treino desta sexta-feira nas imagens de Vítor Silva/ SSPress:


Assessoria de Imprensa