notícia

Vaga possível

Mancini vê condições no Botafogo de conquistar a classificação no Ceará
Atualizado em 28-08-2014, 10h00

Abrir uma série de oitavas de final com derrota em casa nunca é bom, mas há a chance de reverter fora. É nela que o técnico Vagner Mancini se apega para acreditar na classificação do Botafogo para as quartas de final da Copa do Brasil. Apesar da derrota por 2 a 1 para o Ceará, o treinador alvinegro mantém a esperança de obter a vaga na próxima semana.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de Mancini:

CONFIANÇA

- Estou confiante sim. O Ceará teve oportunidade de matar, teve superioridade maior do que o 2 a 1 do placar. O nosso time entrou relativamente bem nos 10 minutos do primeiro tempo, teve uma ou outra oportunidade, mas tivemos o pior tempo que tivemos, distante, desorganizado, desarrumado, com espaços atrás. Não é à toa que o Ceará, uma boa equipe, se aproveitou e saiu na frente com 2 a 0. Melhoramos no segundo tempo, mas muito distante das últimas partidas. Diminuímos, aí tivemos o lance do pênalti. Sem tirar o mérito do Ceará ou reconhecer que o Botafogo não jogou bem, a arbitragem foi muito mal. O árbitro e os assistentes, o que deixou o jogo mais tenso.

SUBSTITUIÇÕES

- As alterações acabaram surtindo efeito, até porque não podia ser pior, o primeiro tempo foi muito abaixo. Sem ter feito um bom jogo, o Botafogo acabou colcoando alma, o que equilibrou. Fizemos o gol e tivemos mais oportunidades. Mas foi distante do Botafogo que pode ser. Alguns atletas entraram desconcentrados, o que acabou prejudicando. Em todos os setores, o Ceará levava vantagem. Então, não tem o que esconder. Estamos vendo o jogo e falando a verdade. O Botafogo não fez um bom jogo. Com certeza o segundo será diferente, temos totais chances de reverter lá.

REAÇÃO NO FIM

- Esse gol é importante porque dá a chance de jogar lá. Se saísse com dois gols de diferença seria muito mais difícil. O gol e o pênalti defendido dão força. No dia que o time jogou mal e nada deu certo, sair com 2 a 1 está de bom tamanho, porque o Ceará foi melhor.

SAÍDA DE ZEBALLOS

- Ninguém gosta de sair no primeiro tempo nem o técnico quer. Foi a maneira que encontrei de dar um choque no time, fazer ter uma postura diferente. É chato para todo mundo, jogador, técnico e público, mas tem que ser feito. Estou ali para tomar decisões, acho que foi acertada. Poderia até ter tirado outros altetas.

- Zeballos tem característica de jogo que precisa estar bem, tem movimentos lentos e dificuldade na recomposição. Mas é inteligente e tem boa visão. Precisamos entendê-lo. É um atleta de outro país, de repente não esteja acostumado com tanta cobrança, vai ter que melhorar perfomance de jogo e de entrega.

CEARÁ

- O Ceará não foi surpresa porque fez a mesma coisa com o Internacional. Os atletas estavam alertados que pegaríamos um time muito organizado, que joga futebol, é compacto e faz a bola correr. Essa dificuldade tem que ser encarada de forma diferente. Quando se toma gol com 16 minutos, você vai dar espaço. O futebol hoje não tem ninguém bobo, se você bobear a outra equipe vai te dar trabalho.

OSCILAÇÃO

- Oscilar é normal, temos que olhar dentro do nnosso time. Fazemos bons jogos às vezes e deixamos desejar em outros. Fazia muito tempo que outra equipe não era superior a nós em 90 minutos. Às vezes é falta de concentração, jogo não encaixou ou adversário saiu na frente. É uma série de fatores. Se a gente puder rever o jogo, vai ver que tudo deu certo para o Ceará, nas divididas e bolas altas, também por estarem bem posicionados.

RECUPERAÇÃO

- Todos os atletas têm que sair chateados e esperar o Santos chegar, porque vamos ter que descontar em alguém. Não dá para achar que não vai ter consequência, que seja já no domingo.

JEFFERSON

- No lance do primeiro do gol, se o Junior Cesar não atrapalhasse, talvez ele chegasse. É um atleta que está se destacando, um ícone, vai ser lembrado na história do clube, é extremamente dedicado, entra com tudo nos jogos. Voltou à Seleção Brasileira e vai permanecer. Não é exagero dizer que nos manteve na Copa do Brasil. É um cara que está sempre pronto, é o nosso anjo da guarda. Quando tem erros no nosso setor defensivo, está lá para se agigantar. Em cada jogo tem um atleta se destacando, mas ele mantém uma perfomance muito boa.

Danilo Santos