notícia

Que venha o Flamengo

Em jogo mais importante da carreira, Valentim cita elementos para a classificação
Atualizado em 27-03-2018, 19:51

O treinador Alberto Valentim comandou o último treino da equipe antes do clássico contra o Flamengo, válido pela semifinal do Campeonato Carioca. A equipe está definida, mas mantida em segredo pelo comandante, que vê a partida como a mais importante na sua trajetória. Botafogo e Flamengo medirão forças na quarta-feira, às 21h45, no Maracanã.

- Temos uma camisa pesada para carregar e vamos enfrentar o Flamengo procurando ganhar o jogo. Entrar com personalidade para vencer, é o que nos resta de alternativa. Com certeza é o jogo mais importante da minha carreira. Um jogo que define o que estamos disputando e não temos outra saída. Sem dúvida será o jogo mais importante da minha carreira, até por ser o próximo. Se Deus quiser estaremos na final - disse Valentim.

Alberto Valentim também citou os pontos que o Fogão precisa melhorar e, principalmente, a postura que espera da equipe diante do Flamengo.

- Agora não temos alternativas caso não vençamos o jogo. Precisamos dessa vitória. O Flamengo tem a vantagem do empate e precisamos entender o jogo, que não vamos ganhar no desespero e sim com muita paciência, organização e agressividade também. Só disputei um jogo contra eles aqui e temos que fazer um grande jogo para irmos à final - falou.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Alberto Valentim:

ESCALAÇÃO EM SIGILO

- A escalação só falarei quarenta e cinco minutos antes do jogo. O 3 a 0 foi um resultado um pouco mentiroso, não escondendo as nossas falhas ou o que precisamos melhorar, pelo contrário, já falei por várias vezes. Muitos disseram que o melhor jogador foi o goleiro Julio Cesar.

ATÉ O ÚLTIMO MOMENTO

- Vou avaliar até o último minuto os jogadores e a característica do Flamengo. Tenho que pensar no que é melhor para esse jogo. Isso que tenho que avaliar.

VISÃO DO TREINADOR

- Exposto não. Se assistirem os gols novamente verão que nos dois primeiros gols as equipes estavam em igualdade numérica. No terceiro sim, ficamos um pouco expostos. Em nenhum gol que sofri durante o campeonato até esse terceiro do Fluminense a minha equipe ficou exposta. Nenhum.

RESPONSABILIDADE DIVIDIDA

- Falei aqui depois da vitória contra o Vasco que precisamos melhorar e não só na fase defensiva, mas também marcando gols. Aconteceu nas primeiras rodadas que conseguimos ganhar os jogos mesmo errando muitos gols. Isso fica mais difícil contra um clube grande. Precisamos dividir as responsabilidades. A fase defensiva não é só a zaga, mas começa lá no ataque pressinandos os zagueiros adversários.

MAIS OPÇÕES NO BANCO

- Tenho meus onze em mente, não vou falar e ainda espero um posicionamento do departamento médico. Nessa semifinal poderei levar 23 jogadores para o banco, isso é muito bom. Tenho confiança em todos os jogadores, dos que estavam indo para o banco e também em quem não estava sendo relacionado. Vai me ajudar muito, ao Paulo também. É bom para o futebol e para todo mundo, além de ter mais jogadores por perto, o nosso grupo estará mais forte para esse jogo.

BOA CONVERSA

- Foi uma conversa muito boa entre nós(treinador e jogadores). Não falo nada no vestiário após o jogo, acho que não é o momento. Todos estão muito pilhados e com cabeça quente, talvez não tenha feito uma análise completa ainda. Foi uma conversa que todos participaram, que eu não falei sozinho e isso foi muito positivo.

Marcos Silva