notícia

Nota Oficial

Em representação à FERJ, Clube manifesta inconformismo com arbitragem no clássico e solicita providências
Atualizado em 05-03-2018, 19h30

O Botafogo de Futebol e Regatas torna pública a representação entregue à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) nesta segunda-feira. No referido documento, assinado pelo Presidente Nelson Mufarrej e endereçado ao presidente da Ferj Rubens Lopes, o Clube manifesta a sua insatisfação com a atuação da arbitragem na partida válida pela 3ª rodada da Taça Rio, realizada no último sábado (3/3), no Estádio Nilton Santos, e solicita as providências cabíveis para que os Srs. João Batista de Arruda, Luiz Antonio Muniz de Oliveira e Gabriel Conti Viana não sejam selecionados para os jogos do Botafogo. 
 
Confira abaixo a íntegra do ofício enviado à FERJ:
 
À
FEDERAÇÃO DE FUTEBOL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - FERJ
A/C. Ilmo. Sr. Rubens Lopes da Costa Filho - Presidente
 
Prezado Presidente,
 
O BOTAFOGO DE FUTEBOL E REGATAS (“BOTAFOGO” ou “Clube”) vem por meio de seu Presidente, Sr. Nelson Mufarrej Filho, manifestar a insatisfação do Clube com a atuação da arbitragem na partida válida pela 3ª rodada da Taça Rio (2º Turno do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro 2018), realizada no último sábado (03/03) no Estádio Nilton Santos, entre BOTAFOGO e Flamengo.
 
O desastroso desempenho da equipe de arbitragem, comandada pelo Sr. João Batista de Arruda, com o auxílio dos Srs. Luiz Antonio Muniz de Oliveira e Gabriel Conti Viana, foi determinante para o resultado alcançado pela equipe do Flamengo, diante das equivocadas decisões tomadas durante o transcorrer da partida.
 
Durante o jogo, inúmeros erros foram cometidos pelo árbitro e seus auxiliares, causando o desequilíbrio do confronto entre as equipes, e contribuindo para o resultado final, dentre os quais destacamos:
 
(i) 03 minutos do 1º tempo: irregularidade flagrante no gol do Flamengo, em jogada clássica de impedimento. O jogador (Rodolpho) que cabeceou a bola estava parado no momento do cruzamento, o que agrava a situação do assistente, que estava totalmente mal posicionado para a avaliação do lance e o devido cumprimento da Regra do Jogo, conforme demonstram as imagens transmitidas por toda a rede televisiva.
 
(ii) 16 minutos do 1º tempo: em lance dentro da área, o atleta Ezequiel, do BOTAFOGO, foi derrubado por seu adversário René, configurando pênalti a favor do BOTAFOGO não assinalado pelo árbitro.
 
(iii) 21 minutos do 1º tempo: em lance absolutamente duvidoso, o assistente assinala impedimento do jogador Kieza, e o árbitro anula o gol do BOTAFOGO.
 
(iv) 26 minutos do 1º tempo: o atleta Jonas, do Flamengo, aplicou um carrinho no jogador Moisés, do BOTAFOGO, mas o árbitro inexplicavelmente aplicou advertência com cartão amarelo para outro atleta do Flamengo (Henrique Dourado).
 
(v) 30 minutos do 1º tempo: em outra jogada, o jogador Jonas aplicou carrinho no atleta Kieza, do BOTAFOGO, e recebeu cartão amarelo do árbitro. Pela regra do jogo, esta deveria ser a segunda advertência, o que motivaria a expulsão do jogador Jonas, do Flamengo.
 
Desta forma, o BOTAFOGO solicita da FERJ as providências cabíveis junto a Comissão de Arbitragem de Futebol - COAF, para que os Srs. João Batista de Arruda, Luiz Antonio Muniz de Oliveira e Gabriel Conti Viana não sejam selecionados para os jogos do BOTAFOGO, considerando os notórios prejuízos causados ao Clube com a inobservância das regras do jogo e ausência de critérios e entendimentos no transcorrer do jogo.
 
Cordialmente,
 
BOTAFOGO DE FUTEBOL E REGATAS
Nelson Mufarrej Filho
Presidente

OFICIOprint1 oficioprint2