notícia

Saldo Positivo

Bruno Lazaroni, gerente da base, faz balanço da temporada e projeta 2018 ainda mais forte
Atualizado em 29-12-2017, 13:00

A temporada 2017 vai chegando ao fim e as categorias de base do Botafogo podem celebrar mais um ano concluído com muito trabalho, conquistas, aprendizado e sucesso! Sob o comando de Manoel Renha (Diretor geral) e Bruno Lazaroni (Gerente geral), a base alvinegra mostrou durante o ano que segue evoluindo e se tornando cada vez mais respeitada no cenário do futebol brasileiro.

Para relembrar de momentos importantes e fazer um balanço final da temporada 2017, a Botafogo TV e o site oficial do Glorioso conversaram com exclusividade com o gerente Bruno Lazaroni, que esmiuçou todo o trabalho realizado pela base forte do Fogão durante o ano e ainda projetou um 2018 ainda mais proveitoso com a utilização do novo CT alvinegro.

ASSISTA AO VÍDEO COMPLETO NA BOTAFOGO TV:
   


CONFIRA OS TÓPICOS DA ENTREVISTA:

ANÁLISE GERAL DE 2017

- Acho que 2017 foi um ano bem proveitoso. Não só a nível de aproveitamento de jogadores no profissional, que é o fator principal da base, mas também em termos de sequência de trabalho e desenvolvimento de metas das categorias, em performance, em desempenho, em competições estaduais e nacionais. E de uma maneira geral, nos outros projetos que a gente colocou em prática como o curso de formação e a clínica de futebol, além do intercâmbio de atletas. Então, foi bem proveitoso e a tendência é melhorar a cada ano.

Sem título

INTEGRAÇÃO COM O PROFISSIONAL E APROVEITAMENTO DOS JOVENS

- A interação entre base e profissional é muito boa hoje em dia, não só a nível de aproveitamento de atletas, do ano passado para esse ano foram 7 atletas incorporados ao elenco. Esse ano, muito provavelmente, outros 5 atletas podem vir a serem incorporados e esse é o nosso grande objetivo aqui dentro. Não fica só nisso, a gente tem um levantamento que mostra que todos os atletas do Sub-20 tiveram nesse ano ano algum tipo de treinamento com a equipe profissional, muitos deles tiveram por volta de 5 ou 10 treinos, tivemos o Fernando e o Wenderson que ficaram um bom período com o profissional, inclusive o Wenderson entrou em duas oportunidades, ficaram em torno de 60 dias. Então, essa interação foi muito boa e a tendência é melhorar mais nesse sentido, que é parte do nosso trabalho e é fundamental nessa transição.

Sem título

CONQUISTA DE TÍTULOS, BOAS CAMPANHAS E DNA VENCEDOR

- Um dos nossos princípios de formação trabalhando dentro de um clube grande como é o Botafogo é essa questão da mentalidade vencedora. Então, procuramos formar atletas nesse sentido, a competitividade e a conquista de títulos são importantes, principalmente na fase final entre o Sub-17 e o Sub-20, é fundamental para que eles tenham um respaldo maior e até uma pressão externa maior para que mais atleta sejam aproveitados no profissional, pois querendo ou não é um carimbo de vencedor que colocamos no atleta do Botafogo. Não é o objetivo principal, mas trabalhamos dentro disso. A conquista do OPG Sub-20, ter ganho a Taça Rio e ter chegado na final do Carioca Sub-17, o título do Metropolitano Sub-13, chegar em todas as semifinais do Sub-11 ao Sub-20 em todas as competições, ter feito uma boa Taça BH Sub-17 chegando até as quartas de final, todos esses resultados desse ano de 2017 deram respaldo e alimentaram ainda mais o sonho deles de vestiram a camisa do time profissional do Botafogo.

Sem título

VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS

- O clube tem o documento orientador metodológico desde 2013, mas nada disso seria possível se os profissionais que estão aqui dentro não colocassem em prática ou não estivessem no dia a dia desempenhando suas funções. Então, o grande mérito da formação se deve aos profissionais que estão aqui dentro do clube, temos as reuniões de formação continuada, temos o projeto de intercâmbio, tivemos a semana da saúde, fizemos atividades educativas, onde procuramos formar o atleta de uma maneira integral para estejam mais preparados. Não totalmente formados, pois existem outros fatores que acabam entrando quando eles chegam no profissional, como lidar com a torcida, imprensa, a pressão externa, a própria pressão interna, então procuramos formar ao máximo sabendo também que ainda terá um processo final quando atingir o profissional.

Sem título

PROJETOS IMPORTANTES PARA A FORMAÇÃO

- Esse ano a gente realizou dois cursos de formação e duas clínicas de futebol, continuou enviando atletas para intercâmbio nos Estados Unidos e também na Roma da Itália. São projetos importantes que a gente considera que ajudam na formação, na divulgação da marca Botafogo e no desenvolvimento dos profissionais como um todo. A tendência é a gente repetir e melhorar o que foi feito ao longo de 2017.

Sem título

NOVO CT E EXPECTATIVA PARA 2018

- A vinda do CT vai dar um salto de qualidade no nosso trabalho de um maneira geral. Você poder estar colocando os atletas para vivenciar o CT junto com a equipe profissional, vislumbrando amanhã ou depois estarem ali junto com eles, além da questão estrutural que vai facilitar ainda mais a integração entre os departamentos e as categorias. Então, tudo isso só vem dando ao clube uma perspectiva positiva de que as coisas vão melhorar ainda mais para o próximo ano.

Sem título

Fabio de Paula