notícia

Tem que respeitar

Forte em campo e na arquibancada, Roger vê Botafogo em sintonia com a Libertadores
Atualizado em 15-03-2017, 18:09

Uma competição diferente das outras, com mais disputa, pressão e visibilidade. O Botafogo entrou com moral na Copa Libertadores, passou por gigantes na fase classificatória e iniciou com vitória na fase de grupos após superar o Estudiantes por 2 a 1 no inflamado alvinegro Estádio Nilton Santos. Fruto de um trabalho, resultado da confiança interna. Ponto desestabilizador para quem insiste em duvidar no poder do Glorioso.

- Tem uma gente que não é boba, o tal do jogador de futebol. Sabemos jogar uma Libertadores. Sabemos que não podemos parar em qualquer bola. Os atacantes podem abrir mais o braço, os zagueiros também. Acho que o árbitro ontem foi bem, não chamou a atenção. Isso é bom. Ontem foi um jogo de muita raça, determinação e muito duro. Nosso melhor jogador em campo foi o Bruno Silva. A oportunidade existe, começamos tão bem, e quem sabe não possamos fazer uma final de Libertadores? - disse o atacante Roger.

Diante do Estudiantes Roger marcou seu primeiro gol na Copa Libertadores. Alías, um golaço, de bicicleta. O jogador até falou sobre o lance, mas preferiu destacar a festa na arquibancada do Estádio Nilton Santos.

- Sou meio contido com isso. Ontem após o jogo o meu filho Nicolas até falou sobre o gol de bicicleta. Mas é gostoso ver o carinho das pessoas nas redes sociais. É bem legal e tomara que eu possa fazer mais. Nossa torcida tem sido o diferencial, com festas lindas. Nos encantam a cada jogo com um bandeirão, mosaico. Isso é muito bacana e o torcedor pode contar que estamos por dentro disso tudo - contou.

Confira os demais trechos da entrevista coletiva de Roger:

GOL E ALÍVIO

- Primeiro que eu vim para fazer os gol. A gente já vem com esse peso de ser o nove, de vir para resolver, e quando ele não sai você cria um pouco de ansiedade. Quando saiu foi maravilhoso, muito gostoso marcar na Libertadores diante do nosso torcedor. Após o jogo contra o Volta Redonda nós tivemos uma conversa e disse para ele que fica sempre ao critério dele. Estava acreditando em mim e a bola não estava entrando. Mas graças a Deus aconteceu e foi um lindo gol.

CRESCIMENTO GRADATIVO

- Temos falado jogo a jogo, sem pensar muito na frente. Matar um leão hoje para depois pensar no outro. Essa tem sido a diferença. Respeitando qualquer adversário da mesma forma. Foi assim contra o Volta Redonda, Estudiantes e agora contra o Vasco. Temos que virar a chave agora e mostrar nossa grandeza no Estadual. O nosso torcedor merece isso. Temos que focar agora no Carioca.

NINGUÉM É BOBO

- O futebol hoje está muito parelho. Todo mundo se conhece, se estuda. O cara do Estudiantes esteve aqui tentando ver nossos treinos e jogos, assim como nós mandamos alguém para lá. Na Libertadores, atualmente, talvez essa de camisa não tenha muito peso. Todos se credenciaram para jogar a competição e a coisa está bem nivelada. Não existe mais aquele favoritismo de antigamente. É respeitar as equipes e trabalhar para o jogo. Essa tem sido a nossa diferença.

O NEGÓCIO É VENCER

- A gente sabe que com 12 pontos é certo de classificar. A chance é de 90%. Com onze pontos, uma grande chance e com 10 talvez dependa de uma combinação. Ontem buscamos a vitória a todo tempo e agora temos que respeitar o Atlético Nacional, próximo adversário. Numa Libertadores você precisa pontuar. Vamos para vencer os jogos, o Botafogo está confiante para fazer uma grande competição.

AGORA É FOCO NO ESTADUAL

- A conversa hoje já foi sobre o Vasco. A grandeza do Botafogo pede essa classificação. O foco desde o início foi a pré-libertadores e tivemos que abrir mão um pouco da competição. Mas isso acabou, estreamos bem na fase de grupos e agora o foco está no Estadual. Será um jogo dentro de casa.

SASSÁ

- O Sassá é um belo jogador, um cara que treina muito bem, com força grande. Até brinco com ele que, se tivesse metade da força dele, jogaria por mais dez anos. A disputa tem que ser boa, sadia. Nossa agenda é muito grande e vamos precisar de todos. Que estejamos preparados para termos oportunidades.

Marcos Silva