notícia

Em casa

Camilo fala sobre experiência na Seleção Brasileira e volta fortalecido ao Botafogo
Atualizado em 26-01-2017, 19:44

Um jogo, uma oportunidade e um aprendizado incontável. Camilo foi convado por Tite para o Jogo da Amizade, contra a Colômbia, e entrou para a história como mais um jogador do Botafogo na Seleção Brasileira. Carimbado pela amarelinha, o meia falou da oportunidade e do crescimento na carreira com a experiência. Força ainda maior para honrar as cores do Botafogo.

- A experiência foi a melhor possível. Realizei o meu sonho de jogar e vestir a camisa da seleção. Agora o foco está totalmente no Botafogo para fazermos um bom trabalho. Esse período com o Tite ajudou muito no meu crescimento - disse.

Camilo entrou no segundo tempo no time de Tite, sensação ainda mais especial para o jogador e para a torcida alvinegra, que viu seu representante em campo no Estádio Nilton Santos, casa alvinegra recentemente.

- Foi muito legal. O Tite já tinha feito cinco alterações e faltava uma. Fiquei naquela expectativa para jogar. A torcida gritou e o Tite me chamou. Emoção completa, entrei bem à vontade. Pegava na bola com bastante confiança - falou.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva de Camilo no Estádio Nilton Santos:

DESAFIO CONTRA O COLO COLO

- É a expectativa de todo torcedor. Virão pessoas de outros estados para ver esse jogo. Comecei a treinar até antes do início da temporada pensando nisso. Vamos jogar mais com o coração e com aquela vontade de querer vencer. É coração na ponta da chuteira para que possamos alcançar os nossos objetivos.

CRESCIMENTO GRADUAL

- Não digo que estamos 100% prontos fisicamente. Com a sequência de treinos vamos melhorar, mas não vamos ficar prontos em uma semana. Ganhamos no entrosamento, no coletivo. Será um jogo que nossa torcida contará muito e também precisamos ter uma boa leitura.

NOVA IGUAÇU PELO CAMPEONATO CARIOCA

- As coisas tem que ser analisadas como um todo e pode ser bom para ganhar ritmo de jogo. No meu modo vou querer jogar. Atuei no amistoso contra o Rio Branco e pela Seleção. É sempre bom jogar.

AO LADO DE MONTILLO

- Depois que eu tive essa experiência na Seleção com o Tite colocando três ou quatro meias para jogar, dá para tirar jogadores da equipe. Não vejo problema, conheço bem o Montillo. Muito trabalho para que possamos ajudar nossos companheiros na criação e na recomposição.

BUSCA PELO ENTROSAMENTO

- De início é complicado falar. Não temos ritmo de jogo ainda e temos que dar um tempo para essa coisa acontecer. E esse tempo é curto, logo teremos esse "jogo do ano" para nós na Libertadores. Foram apenas oito dias em Domingos Martins e creio que com uma sequência de jogos nós vamos crescer. É aproveitar cada treinamento.

Marcos Silva