notícia

Mudança necessária

Presidente explica saída de Hungaro do cargo e planeja ter novo técnico até terça
Atualizado em 11-04-2014, 17h43

Uma mudança de treinador sempre é um assunto muito debatido. No Botafogo, a diretoria optou por Eduardo Hungaro deixar de ser técnico para voltar à comissão permanente do Departamento de Futebol. A medida foi explicada pelo presidente Mauricio Assumpção nesta sexta-feira, em entrevista coletiva no Stadium Rio.

Já com o pensamento no Campeonato Brasileiro, o presidente assumiu sua responsabilidade e falou sobre diversos assuntos, como expectativa pela contratação de um novo técnico, mudanças no elenco e a situação financeira do clube, da qual espera a liberação de recursos na próxima semana para honrar compromissos.

Confira os principais trechos:


DECISÃO


"Tivemos uma reunião de manhã, eu, o vice-presidente geral e o vice de futebol, pois temos conversado desde quarta-feira. Hoje nos reunimos em General Severianos e várias coisas foram colocadas sobre a mesa. A decisão foi pela saída do Hungaro do cargo de treinador e a volta, como rezava o contrato, a ser auxiliar técnico, fazendo integração com a base".

NOVO TÉCNICO

"Até esse momento nenhum treinador foi contactado ou recebeu proposta oficial. Quem disser o contrário está mentindo".

PERFIL


"Não é fácil responder quais as características. Procuramos um treinador vitorioso, é o que precisamos, para conseguir os resultados que queremos. No mercado, sem estar empregado, tem algumas opções, mas há tempo para resolver em definitivo. São dez dias até o início do Brasileiro, mas temos esse fim de semana ou terça no máximo para apresentar o nome para vocês. Se tivéssemos alcançado os resultados desejados, com time, comissão técnica, diretoria e torcida, o Hungaro seria mantido, é óbvio. Agora, precisamos de alguém que venha para vencer".

RESPONSABILIDADE

"Quem errou fui eu, sou o presidente, o erro é meu. Não posso dizer que só o Hungaro errou. Erramos, várias pessoas. Várias questões foram colocadas na mesa para chegarmos à decisão. A responsabilidade é dividida, mas quem tem que assumir o erro sou eu, como presidente. São erros para discutirmos internamente. Temos que analisar com calma e enteder que existe solução e volta por cima. Futebol dá essa possibilidade. Foi um somatório de situações, que não são culpa do treinador, que nos trouxeram a esse cenário".

CONTRATAÇÕES


"Dentro do orcamento, há a possibiidade de concretizar um atacante. É uma demanada do Departamento de Futebol avaliar jogadores que devem sair e chegar. Quando começou o ano, eu disse que seria difícil. Todo mundo aumenta orçamento com Libertadores, tivemos que diminuir. A possibilidade do Proforte sair é cada vez maior, dia 22 tem votação, então a responsabilidade de pagamento aumenta, tem que se estar com orçamento ajustado. O nosso é menor do que o do ano passado, com ajustes feitos pelo departamento de futebol para abrir espaço para os jogadores que precisamos".

EDUARDO HUNGARO


"Sidnei Loureiro, nosso gerente técnico de futebol, conversou com ele. Estarei com ele na segunda-feira. Obviamente, está chateado porque não é mais o treinador efetivo. Mas entendo a situação dele de estar no clube como algo importante para ele. Fazia um trabalho interessante no Botafogo, sendo o responsável por revelar diversos garotos. Se mostrou capaz e competente e volta para essa situacao de fazer a transição da base com o profissional".

Danilo Santos