notícia

Inspiração caseira

Heroi do título carioca, Diego divide créditos com companheiros e com o ídolo Jefferson
Atualizado em 11-08-2016, 11:15

No último final de semana, o Botafogo se sagrou campeão carioca Sub-20 de 2016 em uma final emocionante contra o Flamengo, na Arena Botafogo. Após vencer o rival por 1 a 0 no tempo normal, o Glorioso levou a decisão para os pênaltis e foi nesse momento que a estrela do goleiro Diego brilhou. 

O arqueiro alvinegro, que foi chamado para substituir o lesionado Victor Hugo nas finais, pegou três pênaltis de forma fantástica, sendo dois deles cobranças bem batidas no canto esquerdo, garantindo assim a taça de campeão estadual para a equipe de General Severiano. Feliz, o jovem de 18 anos falou sobre como se manteve frio no momento e dividiu os méritos com seus companheiros de posição e seu treinador, Marcelo Inácio.

- Eu não poderia me sentir melhor, ter a oportunidade de ajudar o time em dois jogos de uma final estadual e poder me sair bem, conseguindo o objetivo principal que era ser campeão, realmente não tem felicidade maior. Na hora dos pênaltis eu busquei estar o mais calmo possível, eu sabia que tinha que seguir o que eu os meus companheiros de posição (Victor Hugo, Lucão e Matheus Cabral) treinamos com o Marcelo Inácio, é um estudo feito por ele e que nos ajuda bastante, então com isso eu só pensei em manter a tranquilidade. - contou Diego.

Sem título
Diego, Marcelo Inácio, Lucão e Victor Hugo comemoram o título Sub-20.

Um dos pênaltis, inclusive, fez algumas pessoas lembrarem um momento histórico do Botafogo. O pênalti de Adriano defendido pelo ídolo Jefferson em 2010 na final do campeonato carioca. Guardada as devidas proporções, Diego foi comparado ao número alvinegro por conta da defesa no mesmo canto, com o mesmo movimento, contra o mesmo adversário e em uma final.

Para Diego, tal comparação é uma honra já que Jefferson é de longe o seu ídolo maior. Além da relação de fã/ídolo, Diego também vem tendo a chance de aprender junto com o goleiro nos treinamentos que faz com a equipe profissional. Para o jovem, essa rotina na equipe principal e as dicas de Jefferson também foram importantes para o seu desempenho na final. 

- É legal ser, de alguma forma, comparado a um ídolo, creio que não só meu ou do Botafogo, mais nacional. Esse período que passo treinando no profissional representa muita coisa, porque eu consigo tirar experiências vividas por cada goleiro que está lá e ponho em pratica quando desço para jogar. Você conviver com o seu ídolo é muito bom. O Jefferson é minha referência, não só como atleta, mas como pessoa. Ele é muito humilde e sempre busca estar presente de alguma forma para me passar a opinião dele, sobre algo que ele acredita que vá me ajudar e isso é muito bom para mim. - mostrou-se grato.

Sem título
Diego defendeu três pênaltis e garantiu o título carioca para o Botafogo. (Foto: Ursula Nery/ FFERJ)

Apesar de jovem, o goleiro do Sub-20 alvinegro representa bem o espírito que a equipe possui. Segundo Diego, o título estadual foi apenas uma parte do objetivo agora a concentração é total para a fase final do campeonato Brasileiro. 

- Nosso foco em momento nenhum mudou, quando estávamos durante o carioca tínhamos dois objetivos. Um já foi alcançado, agora temos que por todo esse foco no Brasileiro. Precisamos que ser melhores a cada dia que passar, para quando chegar a fase final do nacional estarmos bem preparados. - afirmou.

O Glorioso enfrentará o Coritiba na semifinal do Brasileiro em duas partidas, ida e volta. A primeira acontecerá no dia 24/08, no Couto Pereira, em Curitiba. Já a volta será no dia 31/08, na Arena Botafogo. Sem duvidas, os meninos do Fogão estão no caminho certo para fazer história.

Fabio de Paula