notícia

Fábrica de goleiros

Decisivo ao pegar 2 pênaltis na final, Victor Hugo destaca trabalho bem feito no clube
Atualizado em 19-04-2016, 21:23

A disputa por pênaltis em uma decisão de campeonato sempre é o momento de maior tensão do futebol. Aquele frio na barriga, aquela pressão de saber que todos ao seu redor estão te observando e o profundo sentimento de imaginar que o resultado de todo um trabalho está no seu pé ou mão, são os fatores que povoam as mentes dos atletas naquele instante que, por vezes, parece eterno.​

No último sábado, a equipe Sub-20 do Botafogo passou por essa experiência ao decidir nas penalidades máximas o titulo da Taça Guanabara contra o Fluminense. Impressionantemente calmo e ciente do seu papel, o arqueiro alvinegro Victor Hugo derrubou todos os estigmas de uma decisão por pênaltis e se agigantou diante os adversários, defendendo duas cobranças e se tornando um dos personagens da conquista do Glorioso.

- Foi uma sensação incrível, sensação de dever cumprido. Fiquei extremamente feliz por ter alcançado o nosso objetivo e mais ainda por ter sido campeão do jeito que fomos. Tivemos a defesa menos vazada e eu pude ajudar a equipe pegando dois pênaltis na final, foi uma coisa inimaginável. - descreveu Victor.

O CRÉDITO DA FOTO É OBRIGATÓRIO: Vítor Silva/SSPress/Botafogo
Victor Hugo foi o destaque alvinegro nos pênaltis defendendo dois chutes. (Foto: Vitor Silva/SS Press/BFR)

Se engana quem pensa que as cobranças defendidas por Victor foram golpe de sorte ou até mesmo um estudo dos batedores tricolores. Para o arqueiro, o fator responsável por tal resultado é o trabalho. Ele conta sobre sua ótima relação com seu treinador Marcelo Inácio e enaltece a capacidade do preparador de analisar cobranças de pênaltis, além de dividir os méritos de evolução com seus companheiros de meta.    
 
- Tarabalho com o Marcelo desde o Juvenil, sempre tive um respeito e um carinho muito grande por ele e pelo seu trabalho. Nos pênaltis ele é fora de série, parece que tem uma bola de cristal, quase não erra os cantos. Nós goleiros, tentamos tirar o máximo de proveito do entendimento que ele nos passa e com certeza, isso me ajudou muito na hora da decisão. Eu, Diego, Lucão, Claysson e Matheus trabalhamos juntos desde o juvenil e o trabalho sempre foi muito bom, um eleva o nível do outro nos treinamentos e por isso acredito que estamos a cada dia melhor preparados. - ressaltou.

Elogiado por seu comandado, o treinador de goleiros do Sub-20 Marcelo Inácio falou um pouco sobre o mecanismo de trabalho feito por ele para preparar os meninos para momentos decisivos e revelou uma conversa com Victor Hugo antes da disputa de pênaltis.  

- Sobre essa questão dos pênaltis, na verdade eu fiz um estudo próprio de biomecânica do movimento dos batedores nos pênaltis. Com ele eu tento passar para os meninos como o adversário se movimenta, como ele vai para a bola, qual a posição do corpo dele e isso dará indicativos de onde ele pode bater. Já são anos que venho trabalhando assim e sempre tive a felicidade de acertar mais do que errar. O Victor foi feliz e acreditou no que tinha sido previamente combinado. No fim do jogo eu perguntei se ele acreditava no que tinha sido trabalhado, ele respondeu que sim e eu disse a ele para seguir, pois seriamos campeões. - revelou Marcelo.

_S001794
Marcelo e seus comandados com a Taça de campeão da Taça GB Sub-20. (Foto: Vitor Silva/SS Press/BFR)

Além desse trabalho específico que Victor faz com Marcelo, o Botafogo tem uma política pra lá de benéfica aos goleiros do sub-20. Em um processo de rotação, todos eles sobem ao profissional e realizam treinos com os preparadores Paulo Rui e Jorcey Anísio, além de acompanharem de perto referências como Saulo, Hélton Leite e o ídolo Jefferson. 

- Essa rotina me faz crescer muito, como pessoa e como atleta. Saber que estou treinando em um time que tem na história excelentes goleiros me motiva cada vez mais, além de poder treinar com um ídolo (Jefferson) não só para o clube, mas para mim também. Eles me dão conselhos, experiências de carreira e de vida. Com certeza, não poderia ter uma base melhor para evoluir. - disse o contente Victor Hugo.

Por toda sua tradição gloriosa o Botafogo é reconhecido por ser uma verdadeira fábrica de grandes goleiros e parece que essa é uma história que se repetirá muitas e muitas vezes. 

Fabio de Paula