notícia

A hora do título

Ricardo não vê a hora da conquista da Série B e espera bom futebol nos jogos finais
Atualizado em 19-11-2015, 12:42

A temporada 2016 está quase no fim e o Botafogo, após um ano de muita luta, enfim voltará a respirar os ares da primeira divisão. Mas ainda não acabou e após o acesso o objetivo passou a ser o título da Série B. Basta uma vitória alvinegra diante do ABC, sexta-feira, às 21h30, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, para o Glorioso garantir o título e a volta à elite em grande estilo.

Antes da última viagem do ano - o último jogo será em casa, contra o América(MG) - o treinador Ricardo Gomes concedeu entrevista coletiva no Estádio Nilton Santos e falou da expectativa para a conquista do título antecipado. Ricardo falou que a conquista será importante para coroar o trabalho e servirá de lembrança para que o clube nunca mais dispute a competição.

- Uma coisa é você estar na Séria A com possibilidade de título... Entendo a torcida. Temos que comemorar para nunca mais voltar. Esse é o meu diálogo. Temos que ganhar qualquer jogo quando vestimos a camisa do Botafogo e agora estamos na Série B. Nosso discurso é esse, primeiro foi o acesso e agora é o título. Vamos comemorar e buscar uma maneira de nunca mais passar por isso - disse Ricardo Gomes.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva do treinador Ricardo Gomes:


TIME DEFINIDO, MAS...

- O time está confirmado, mas não vou passar para vocês pelo hábito. Tivemos o primeiro treino do Neilton hoje e vou conversar com ele. Se me der o "ok", começa o jogo.

O ABC EM BRASÍLIA


- Eles jogam fora de casa assim como nós e certamente estão querendo mostrar serviço mesmo não tenho mais chances no campeonato. Temos que respeitar bastante.

NA PONTA DOS CASCOS

- A minha ideia é um time mais leve e temos que jogar dessa forma. Encontrar o foco para não termos dificuldades. O último jogo contra o Santa Cruz foi uma derrota que não esperávamos do jeito que aconteceu. Estávamos receosos quanto ao estado físico dos jogadores. Fomos organizados, mas sem aquela força necessária para ganhar qualquer tipo de jogo. Esse grupo oscilou sim, mas isso acontece em qualquer esporte. Sempre vai acontecer uma queda, mas não pode ser muito longa. Estou muito confiante que teremos duas vitórias convincentes nos dois últimos jogos.

JOGOS IMPORTANTES NA CAMINHADA


- Tivemos dois jogos decisivos contra Náutico e Bahia, com os jogadores concentrados e com uma boa parte técnica. Espero que tenhamos um comportamento diferente do jogo contra o Santa Cruz. O jogo tem que ser jogado e os três pontos são disputados. Já vi grandes times serem derrotados e atenção será redobrada.

BALANÇO POSITIVO

- Não em todos os jogos (boa atuação da equipe), mas na média acredito que foi bom. Apresentamos jogos interessantes. Claro que temos que melhorar, mas fico satisfeito. Gostei bastante do comportamento do Botafogo contra o Paraná. Pegamos um time que jogou com se estivesse em casa. Foi marcante.

MANÉ GARRINCHA

- Foi um ídolo não só do Botafogo, mas nacional. Um dos maiores do mundo e carregamos essa importância. Nem sempre as escolhas são erradas em Brasília e pelo menos o nome do estádio foi uma boa escolha. Sabemos que a torcida do Botafogo quer vitórias e temos que pensar primeiro nesse jogo contra o ABC e respeitá-los, depois trabalhar para que o Botafogo esteja na parte de cima da tabela no ano que vem.

NA CABEÇA DOS JOGADORES

- Não somos psicólogos, mas temos uma experiência que nos permite delinear a cabeça dos jogadores no dia a dia. O acesso foi festejado e, consequentemente, no jogo após... Se pegar a entrevista do Grafite no pós-jogo vai ver que ele diz que o Botafogo estava relaxado após o acesso. Estamos nessa expectativa do título e estou muito confiante para que isso aconteça. Se não será mais uma semana... É melhor resolver logo.

COMPORTAMENTO DO TORCEDOR

- É assim mesmo. Você não pode analisar o comportamento de torcida nenhuma. Temos é que jogar bem. Isso é um espetáculo. A grande maioria pagou para estar no estádio e querem comemorar o título. Futebol é paixão e se jogar mal vai ser vaiado. Não tem conversa. Temos que encontrar uma forma de jogar bem.

Marcos Silva