notícia

Botafogo 2 x 3 Paysandu

Pênalti anulado no fim impede reação e Glorioso segue com 36 pontos
Atualizado em 23-08-2015, 13h00

 

 

 

Em um jogo emocionante, o Botafogo parou na cera do Paysandu e em erro grosseiro de arbitragem e foi derrotado por 3 a 2, neste domingo, no Estádio Nilton Santos. No fim da partida, o Glorioso viu o árbitro marcar um pênalti, mas voltar atrás porque o assistente errou e apontou impedimento inexistente. Um pênalti mal anulado. O time alvinegro segue com 36 pontos na Série B.

O próximo adversário é o CRB, sexta-feira, no Estádio Rei Pelé, em Alagoas.

HOMENAGENS

Antes do jogo, uma série de ações especiais animou a torcida no Estádio Nilton Santos. Houve desfile da bateria da Portela, do time sub-12 de futsal campeão, do basquete campeão carioca masculino adulto e uma exibição dos novos uniformes. Em grande número, a torcida aplaudiu os homenageados.

O JOGO


Embalado pela torcida que lotou o o Estádio Nilton Santos, o Botafogo saiu forte para pressionar no início do jogo. Apesar do forte calor, o time tentava encurralar o Paysandu.

No primeiro minuto, roubada de bola no campo ofensivo, Luis Henrique arrancou, colocou na frente, mas a zaga travou. Aos 7, Carleto arriscou de longe, com efeito, e o goleiro Emerson fez a primeira de suas muitas. O camisa 1 do Paysandu voltou a apareceu ao espalmar chute cruzado de Arão e ao fazer ponte para encaixar cabeçada de Luis Henrique.

O Botafogo esteve perto de abrir o placar aos 16. Elvis enfiou para Neilton, que invadiu a área, foi calçado pelo zagueiro, chegou a perder a chuteira e finalizou na rede pelo lado de fora. O pênalti poderia ter sido marcado.

Porém, em sua primeira oportunidade real, foi o Paysandu que balançou as redes. Aos 26, Valdivia tocou para Yago Pikachu que invadiu a área e tocou por baixo de Jefferson. Para piorar, dois minutos depois, em jogada ensaiada após escanteio (reclamado por ter sido originado em possível lance de impedimento), Thiago Martins ficou livre para finalizar no canto e fazer 2 a 0.

Era para o Botafogo diminuir e colocar fogo no jogo na sequência. Aos 29, Neilton entrou na cara do gol, bateu e Emerson fez grande defesa. No rebote, Elvis limpou o goleiro e, sozinho, mandou por cima. Incrível. Já aos 32, Neilton ajeitou da esquerda e bateu colocado no ângulo, só que Emerson salvou outra vez.

Ainda na etapa inicial, mais duas boas chances, apesar da cera do time do Paysandu, principalmente de Emerson. Aos 47, Daniel Carvalho pegou na sobra na área, cortou para a direita e finalizou forte, para boa defesa do goleiro. E, aos 49, Diego Giaretta soltou bomba de longe e acertou a trave.

O segundo tempo começou da mesma fora: Botafogo em cima. Daniel Carvalho finalizou sobre o alvo, Carleto cobrou falta perigosa para fora, Luis Henrique quase teve boa oportunidade. Tanta pressão resultou em gol aos 18. Após jogada de Luis Ricardo e Luis Henrique ajeitar, Daniel Carvalhou chutou forte para vencer Emerson. Botafgo 1 x 2 Paysandu.

Contudo, logo na saída de bola, gol do Paysandu. Jogada em velocidade pela direita e Jhonnatan bateu cruzado para ampliar, aos 19.

O Botafogo não desistiu. Quase marcou com Neilton de cabeça, em outra boa defesa de Emerson. E diminuiu novamente aos 36, com Sassá de cabeça. Botafogo 2 x 3 Paysandu!

Com uma pressão intensa, o time alvinegro teve um pênalti anulado. Isso mesmo. O árbitrou aponta para a marca ao ver falta em Luis Henrique na área, mas voltou ao atrás porque o assistente havia marcado impedimento de Sassá na origem da jogada. Detalhe: não havia impedimento. Um erro claro que impediu o empate do Botafogo e freou a reação.

GALERIA DE FOTOS (Luciano Belford / SS Press / BFR)



BOTAFOGO:
Jefferson, Luis Ricardo, Renan Fonseca, Diego Giaretta e Thiago Carleto; Serginho (Camacho), Willian Arão, Daniel Carvalho e Elvis (Diego Jardel); Neilton (Sassá) e Luis Henrique. Técnico: Ricardo Gomes.

Danilo Santos