notícia

A visão do professor

Confira a entrevista coletiva do treinador René Simões após a goleada sobre o CRB
Atualizado em 16-05-2015, 23:30

O dia do Botafogo acabou de forma perfeita. O clube homenageou o eterno ídolo Nilton Santos antes da bola rolar e, principalmente, com a bela vitória por 4 a 1 diante do CRB. Em entrevista coletiva, o treinador René Simões elogiou a postura ofensiva da equipe, que conseguiu a importante marca de 100% de aproveitamento em casa. Já são dez vitórias seguidas.

Botafogo x CRB
Botafogo de René goleou o CRB por 4 a 1 e segue com 100% de aproveitamento no Estádio Nilton Santos

Confira os principais trechos da entrevista coletiva do treinador alvinegro:

O BOTAFOGO NO JOGO

- Acho que até fazer o gol o Botafogo estava bonito de se ver. Eu na beirada do campo estava me sentindo um torcedor privilegiado, foi muito bonito. Fizemos o primeiro gol e aí machuca muito você ver a possibilidade de acabar o jogo no primeiro tempo e ir para o vestiário sem essa definição... A bola pune e você pode até perder o jogo. Estava realmente muito aborrecido no intervalo, principalmente com dois cartões que nós tomamos que não deveríamos ter sofrido.

A ARBITRAGEM

- Não costumo falar de arbitragem e não quero falar do árbitro do jogo, mas sim do movimento que está se formando na CBF. Nos próximos quatro jogos eu receberei o quarto árbitro no meu vestiário com algumas regras de conduta. Algumas coisas estão fora de contexto. Acho que a arbitragem tem que se impor, mas não perder o rumo do que está acontecendo.

RODRIGO PIMPÃO

- O Pimpão já ouviu o que deveria de nós por conta da expulsão. Estamos empatados na liderança com o Sampaio Corrêa por um gol, o que acaba fazendo a diferença. Os indicadores do primeiro tempo foram bons, mas caímos depois. Temos que corrigir para não pagar o preço nos próximos jogos.

SASSÁ ARISCO E TIME GOLEADOR

- O Sassá fez a melhor semana de treinos dele desde que eu cheguei aqui e foi muito bem no jogo também. Não dava para não escalá-lo, o jogador acaba te obrigando a entrar em campo. O Daniel também fez uma semana exuberante e, se ele tinha gás para atuar quarenta e cinco minutos, que fosse no início. Dezoito jogadores já fizeram gols nesse elenco e isso me deixa muito feliz.

ELVIS

- O Elvis vem subindo muito da pré-temporada até agora. É Impressionante a modificação do comportamento, um jogador que não é mais tímido em campo e nem disperso. É um jogador agressivo e confia no taco dele. Há três dias ele me disse que estávamos segurando demais ele, que queria jogar.Pedi calma e disse que ele já voltaria a treinar. Fiquei até na dúvida de começar o jogo com ele ou com o Daniel, mas optei pelo Daniel por já estar jogando.

AS ESTREIAS DE CAMACHO E LULINHA

- O Camacho também entrou bem, um jogador que está em recuperação. O Lulinha também entrou bem e já conheço bem esse jogador. Muito útil e quando ele faz a virada eu não me preocupo com o meio porque ele recompõe por um ser um meia de beirada.

HOMENAGENS AO ÍDOLO NILTON SANTOS

- Acho muito legal porque no Brasil valorizamos muito pouco os nossos ídolos. Quero parabenizar o Botafogo por essa iniciativa de eternizar quem já era eterno. O Nilton Santos dá nome ao nosso estádio e eu tive o prazer de conhecer a família dele.

DEPARTAMENTO MÉDICO ZERADO

- É legal contar com todo mundo. Brinquei com o Doutor Gustavo e disse que ele poderia fechar o departamento médico e jogar a chave fora porque não tem mais ninguém. O Roger Carvalho já está na transição para o campo e voltará a treinar com o grupo na segunda-feira. É uma preocupação boa olhar para o banco e se perguntar quem vai colocar. É muito bom, fico feliz com isso e o nível vai subir dentro do grupo. Quem não acompanhar vai perder o trem da equipe.

FATOR CASA CADA VEZ MAIS FORTE

- O nosso torcedor está vindo junto, comprando a ideia. Um dia um torcedor me parou e me disse que gosta da impressão de achar que o Botafogo sempre vai fazer um gol. Tem coisa melhor do que isso? Isso é muito legal! Quero convocar a torcida para encher o estádio e fazer isso aqui tremer para que os adversários entendam que vão encontrar um clima de pesado. Só o fato de mudar o nome para Estádio Nilton Santos gera isso. Essas dez vitórias em casa são frutos dessa era.

UM BOTAFOGO OFENSIVO

- É o que a torcida pode esperar. Eu não quero que o Botafogo faça um gol e pare, principalmente dentro de casa. Não quero ver o time sofrendo gols e nem tomando cartões como tomamos. Cobramos mais a bola no Bill e ela veio algumas vezes. O time entendeu o que comentamos depois do jogo contra o Paysandu. O Bill é esse tipo de jogador. Vai perder um ou dois, mas uma hora vai fazer.

O próximo jogo do Botafogo na temporada será pela Copa do Brasil, quarta-feira, diante do Figueirense, em Florianópolis. Na sequência o Glorioso irá até Brasília enfrentar o Atlético Goianiense, pela 3ª rodada da Série B.

Marcos Silva