notícia

Apenas no começo

Carleto valoriza união do grupo e vê o Fluminense como mais um jogo no caminhada
Atualizado em 04-03-2015, 19:47

O Botafogo lidera o campeonato Carioca com 19 pontos e uma campanha invicta de seis vitórias e um empate. Clima bom de trabalho e valorizado pelo lateral-esquerdo Tiago Carleto. O camisa 6 ressaltou a união do grupo em tão pouco tempo de trabalho e vê o time concentrado para o clássico contra o Fluminense, outro jogo importante na caminhada alvinegra.

- O René trata todo mundo igual e não tem porque entrar em campo e não lutar por uma pessoa que quer o nosso bem. O René quer sempre estar com a gente e não é tudo sempre mil maravilhas. Estamos no caminho certo e o fruto desse trabalho está sendo essa união. Temos que chegar no estádio com toda vontade de trabalhar - disse Carleto.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva do lateral esquerdo:

JOGOS NO MARACANÃ

- Foi bom conhecer o novo Maracanã, ainda mais com uma vitória. Fica a ansiedade normal por ser mais um clássico, mas será mais um jogo, a nossa final. A semana de trabalho está sendo proveitosa, será um jogo diferente e temos que estar ligados porque será decidido no detalhe. O jogo é só domingo, mas para nós já começou.

CRESCENDO A CADA DIA

- Quero mostrar um bom futebol a cada jogo. Aqui no Botafogo a cobrança é muito grande, mas por eu ter passado pelo Fluminense fica essa coisa. Deixo isso para a imprensa. O Fluminense já passou e a realidade pra mim é o Botafogo.

NO COMANDO DO RENÉ

- A gente tem sempre que respeitar. Foi colocado muita coisa e agora nós temos que tomar muito cuidado, até pela liderança. É uma opção do treinador e se o René optar pelo Gegê também iremos bem. Temos que ter comprometimento com aquilo que ele tem passado para a gente e cada um tem que respeitar o seu momento. Quem entrar tem que saber que tem que fazer em prol do grupo. Somos onze jogadores e temos que dar conta do recado.

CLIMA POSITIVO

- Se deve ao trabalho, ao comprometimento de nós jogadores e da diretoria. O resultado é fruto de um trabalho, mas todos nós sabemos que ainda não ganhamos nada. Vencer o clássico foi importante, mas deixamos a euforia para a torcida. O ano será longo e ainda teremos muitos desafios pela frente, com muita coisa para provar. É manter os pés no chão e buscar viver um passo de cada vez.

FORTE NA COBRANÇA DE FALTA

- Tenho visto isso e procuro trabalhar a cada dia. Entendo que não vou para a cobrança de qualquer maneira, posso mudar o jogo. Sei que é uma qualidade minha e aqui no Botafogo temos bons cabeceadores. Pela vontade de Deus sempre tem saído o gol ou jogadas perigosas dos meus pés.

VAI BALANÇAR A REDE DO CLÁSSICO?

- Quem não quer fazer um gol no clássico. Está amadurecendo e quem sabe não sai contra o Fluminense. Eu ficaria feliz, mas será mais importante uma vitória com um bom volume de jogo.

CUIDADO COM O FLUMINENSE

- A gente tem que tomar muito cuidado com o Fluminense, que tem jogadores de qualidade. O professor tem conversado com a gente e devemos entrar ligados no clássico. Fomos pressionados no começo do jogo contra o Flamengo, conseguimos suportar e fomos efetivos com a bola. Temos que jogar o nosso jogo e o professor René vai montar a equipe de acordo com o que o Fluminense tem. Acho que esse jogo vai ser um pouco parecido do que foi contra o Flamengo e, se colarmos a bola no chão, temos boas chances.

PARCERIA COM DIEGO GIARETTA

- Eu acho que a responsabilidade do lateral primeiramente é marcar. A gente tem que cumprir funções e não é porque eu sou lateral que não posso voltar para fazer a zaga enquanto ele ataca. Ainda temos alguns dias de trabalho e estamos bem centrados no que é preciso fazer. Cada treinamento pra nós é como se fosse um prato de arroz e feijão.

ORIENTAÇÕES DO MITO

- Nós temos aqui o melhor goleiro do Brasil e ele está vendo o jogo de frente. Sempre procuramos conversar para avisar sobre a marcação ou o ataque. Além de ser um grande goleiro, ele sempre tem uma análise precisa. Procuro fazer sempre contra os goleiros o que eu tenho feito no jogo. Quero poder ajudar sabendo o que estou fazendo, não chutando por chutar.

FLUMINENSE NO PASSADO

- Mudou muita coisa no Fluminense e o que eu sei não tem segredo. Você tem que tomar cuidado em qualquer circunstância. Se estão jogando é porque são capazes. A preocupação é necessária, mas temos sempre que olhar para o nosso trabalho. A gente aprende todo dia aqui e temos que saber jogar o clássico. Nós decidimos assim contra o Flamengo, no detalhe, e fomos beneficiados por estarmos ligado até o último minuto.

NOSSO ATAQUE É FOGO

- Nós temos o Bill, Tássio, Sassá, obson... O Fred é um grande jogador e um amigo que eu fiz, mas estou preocupado com a minha equipe. Quero ajudar ao máximo os meus companheiros. Respeitamos o Fluminense, mas estamos preocupados com o que temos que fazer dentro de campo.

Marcos Silva