notícia

Atmosfera diferente

Jefferson diz gostar de enfrentar o Flamengo e vê clássico como especial
Atualizado em 26-02-2015, 19:08

O Rio de Janeiro completará 450 anos no domingo e ganhará de presente o clássico entre Botafogo e Flamengo, no Maracanã. Do lado Alvinegro, muito trabalho e concentração para vencer e se manter na liderança isolada. O goleiro Jefferson falou sobre o clima que cerca o jogo e afirmou gostar de enfrentar o Flamengo, um adversário contra quem costuma se destacar.

- É sempre gostoso jogar contra o Flamengo, um clima diferente. Nos preparamos durante a semana e estamos tranquilos, trabalhando com os pés no chão e sabendo que é um jogo importante para mantermos a liderança. Não vamos tirar uma vitória ou derrota como parâmetro para todo o trabalho e vamos forte para uma grande partida no domingo. É uma atmosfera boa entrar no estádio e ver muitos torcedores, tem aquela rivalidade. Costumo dizer que o treinador nem precisa dar palestra no dia do jogo porque já entramos pilhados - disse Jefferson.

Confira os principais trechos da entrevista coletiva do camisa 1 do Fogão!

CLÁSSICO CONTRA O FLAMENGO

- Uma hora ou outra esse jogo ia chegar. Vai ser um teste no sentido do que estamos fazendo. Se vencermos o Flamengo vão dizer que o Botafogo está pronto e se perder vai ser o contrário. Estamos nos entrosando ainda, sabemos que vai ser um jogo difícil e não vai ser um divisor de água. Temos muito coisa pela frente e estamos no caminho certo.

PAULO VICTOR

- O Paulo Victor é um grande goleiro, buscou o seu espaço no Flamengo e está numa crescente. Ficou um bom tempo na reserva, mas hoje está se firmando. Não tenha dúvida que estará mais experiente no futuro e terá uma chance na seleção brasileira. Cheguei no Botafogo em 2009, me firmei e agarrei a oportunidade com unhas e dentes. Tem que ser assim e graças a Deus hoje estou no caminho certo.

MARCELO CIRINO

- Sem dúvida está numa grande fase e temos que ter cuidado pelo momento que está passando. Bem mais confiante, solto em campo e nos exige uma atenção redobrada. Temos que entrar atentos para neutralizar as jogadas do Flamengo.

DRIBLES DO CAMISA 1

- É um recurso que a gente tem, talvez por característica. Já fiz pela seleção e em alguns jogos no Botafogo. As outras equipes já sabem que isso pode acontecer e temos conversado com a zaga para que essa

JOGO-TREINO NO MARACANÃ

- Estamos fazendo mesmo é um reconhecimento do gramado. Isso é normal para todas as equipes. Não tem nada porque é o Flamengo, queremos apenas saber o estado do gramado. Serve para saber o tipo de chuteira, se está baixo ou com grama replantada. É importante.

SEM NOVIDADE

- Eu acho que, pelo nível que temos aqui, com jogadores maduros, é uma surpresa saber que alguns não entraram ainda no Maracanã. Não tem muita novidade não. Existe a ansiedade de pisar no Maracanã, mas quando a bola rola acaba tudo. Treinar lá vai ser importante para quebrar o gelo.

SEM FRIO NA BARRIGA

- Não pode ser diferente porque sabemos que é um jogo difícil contra o Flamengo. A qualidade é diferente, mas o jogo em si é o mesmo. O treino muda um pouco, fica mais intensivo, até mesmo a comissão técnica passa mais coisas para ficarmos ligados. Não tem essa questão da ansiedade.

FUTEBOL DO RIO DE JANEIRO

- Foi aqui que eu alavanquei a minha carreira. No Botafogo eu tive as maiores oportunidades e apareci em 2010, com a defesa no pênalti do Adriano. Minha família se adaptou bem aqui e já tenho bastante coisa de Carioca. Tenho orgulho de estar aqui. É uma vitrine e vejo alguns amigos meus dizendo que gostariam de jogar no Rio para aparecer no cenário nacional. A visibilidade é diferente e com certeza é um campeonato importante.

Marcos Silva