Últimos ajustes

Auxiliar Técnica, Ana Clara comenta expectativa e detalha preparação para a A1

Atualizado em 30-03-2021 às 20:03

Consolidando o trabalho no início da temporada da equipe feminina do Botafogo, o título do Estadual foi conquistado. Mas agora, as Gloriosas se preparam para enfrentar um desafio ainda maior: representar a camisa alvinegra na elite do futebol feminino. 

O Campeonato Carioca serviu como um laboratório para a A1, mas ainda serão necessários alguns ajustes para a grande estreia na competição nacional. O adiamento do Brasileirão possibilitou um tempo maior de preparação. Com um planejamento bem definido pela comissão, a auxiliar técnica, Ana Clara, comentou sobre o retorno aos treinos. 

“Vamos ter mais tempo para preparar a nossa equipe tornando-a ainda mais coesa, queremos recuperar as atletas e buscar uma homogeneidade física nas jogadoras o quanto for possível. Teremos uma inter-temporada que nos possibilitará reorganizar a casa para estrear no Brasileiro com nosso elenco preparado”, disse Ana.

Para aguentar o ritmo da competição, o Departamento de Futebol Feminino do Botafogo buscou novas contratações e conseguiu manter grande parte do elenco, entendendo a necessidade de poupá-las no decorrer do campeonato.

“As atletas experimentaram esse volume de jogos durante o carioca, mas a intensidade do Campeonato Brasileiro é diferente. São equipes mais fortes e consolidadas no cenário nacional, e isso vai demandar muito delas, tanto física, quanto psicologicamente. O rodízio entre as jogadoras já foi feito durante o carioca e fluiu muito bem, o que acredito que tenha sido primordial para que elas se sintam confortável com as mudanças, para confiarem ainda mais no trabalho e planejamento da comissão. Todas são importantes e precisaremos de cada uma delas”, comentou a auxiliar.

Com a estruturação do departamento, a equipe técnica e as jogadoras, fizeram história ao classificar o Alvinegro para a primeira divisão do Brasileiro. Desde a partida que garantiu o acesso, há uma dedicação contínua para entender o que precisa ser aperfeiçoado. 

“Será um caminho árduo. Chegamos na elite, mas precisaremos nos doar muito mais para alcançarmos nossos objetivos desse ano. Teremos adversários fortíssimos, jogaremos contra atletas de muita bagagem, equipes com muitas jogadoras que compõem a seleção brasileira, e por isso teremos que ser estratégicos. As atletas estão cientes das características do treinador e do modelo de jogo que instituímos dentro do Botafogo, e se doam no dia a dia para manter essa essência. Independente do aspecto técnico, vontade e garra dentro de campo, seguramente, não faltarão. Esse grupo demonstra isso todos os dias nos treinamentos, e em todas as vezes em que é posto à prova”, complementou Ana.

Assessoria de Imprensa


Norsk